Legend Of :: Space Invaders

Reações: 





Ontem eu havia escrito uma analise para Majora's Mask (N64), e eu realmente estou gostando de escrever para quem curte ler, bem se você está lendo isso: Obrigado, continue assim. Hoje eu vou falar de um pequeno vício que eu tenho, Space Invaders. Sério, eu vou muito viciado nesse game, eu até me lembro de ter ficado em primeiro lugar na versão Extreme de PSP uma vez...
Pra quem não sabe como as coisas andam nessa invasão, é o seguinte: O objetivo é destruir ondas de naves com um canhão à laser para ganhar o maior número de pontos possível. 
Sacou ? O Game estreou nos arcades em 1978, e foi criado pelo maestro do espaço Tomohiro Nishikado, como era um game arcade, a Taito construiu o estande, e alguns anos depois licenciou para a Midway Games que distribuia nos EUA, onde o game se tornou uma febre, fica óbvio que a inspiração aqui é a Cultura Pop dos anos 70,80 e também 90 diga-se de passagem, filmes como Star Wars ou Guerra dos Mundos ajudaram inicialmente, mas não podemos negar que os aliens que matamos são bem originais, sabe, naquele tempo, nós viamos os homenzinhos na tela como uma goma de mascar quadrada, mas nossa mente teimava em projetar um encanador musculoso, e uma princesa no melhor estilo Katie Perry da vida, hoje, creio que esse tipo de coisa ficou de lado, por isso Space Invaders é meu vicío particular: Quando eu jogo, é pra madrugar, e quando eu atiro, é pra matar, essa é a MINHA regra de Space Invaders!


Bem, o game foi um dos primeiros á usar gráficos Bidimensionais (2D) com uma leve inclinação no monitor, a imagem ganhava um efeito 3D muito supimpa, o gameplay era assim: você controlava uma pequena nave, que disparava Lasers infinitos, e um exército de invasores extra-terrestres vinham á sua caçada, quanto menos deles, mais zoero fica, pois a velocidade vai aumentando, todos mortos ? Uma nova formação surgia em seguida, e ocasionalmente, um pequeno UFO aparevia lá no topo pra lhe render pontos extras,Simples.



Toshihiro se inspirou no romance A Guerra dos Mundos (Que recebeu uma adaptação muito foda!) para desenvolver seus aliens, quem leu o livro, sabe que os invasores têm braços enormes, e mais de dois, e que voam...ops! Isso não seria um polvo dentro d'água ? Sim, os aliens foram baseados em especiarias marinhas, legal não ? Mas como você têm alergia á comida marinha, e claro, não curte muito a "Onda do Momento" dos aliens cabeçudos, você têm que sair atirando como se tivesse Parkson ou Ataques Esquisofrênicos, Toshihiro era um cara bacanudo na época, e teve que recusar idéias iniciais, como o fato de colocar humanos contra humanos, quer dizer que você pode chacinar aliens que estão em busca de sorvetes, mas matar um humano que destrói o próprio planeta não pode ? Huh...sei, e os aviões ? Bem essa parte foi também esquecida pelo fato de complicações técnicas na época, ainda bem!



A Recepção do game foi muito ótima na época, passou á gerar bilhões de dóletas aos seus desenvolvedores (e a suas cópias bastardas...) e aquele efeito 3D que o truque dos espelhinhos na tela dava o que falar na época (O arcade podia ser econtrado ainda em um Fliperama próximo á Praça da Liberdade, aqui em sampa, hoje eu acho que não têm mais, uma pena...), e ele também foi o primeiro game arcade á ser convertido para o ATARI 2600, onde apareceu humildemente no NES,MSX,Atari 5200 e até hoje ganha ports muito bem produzidos e viciantes, uma febre que nunca irá parar com certeza...


Resumindo: Quando seu filho nascer, compre um iPhone, baixe o Space Invader mais atualzim e dê pro fedelho, cara esse game é tão bom e viciante, que até o Mario já tentou copiar sua fórmula...brincadeira, não chega á tanto, em fim, tente a versão Extreme que saiu em 2006 pra Nintendo DS e á pouco tempo no PSP, garanto que não irá se arrepender.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não poste comentários com palavreado Chulo que contenham
Palavrões que possam ofender uma ou mais pessoas, palavras de conteúdo chulo que apenas demostram gírias serão moderadas, Exemplo: F*da.
Se for reclamar, reclame com educação pelo menos, sintam-se livres para falar e discutir sobre o que desejar